Vampirismo psíquico

VAMPVAMPIRISMO PSÍQUICO: Acontece com mais frequência do que imaginam prestem atenção amadas(os) fiquem atentas(os)

Os vampiros estão na moda. Adolescentes soltam gritinhos histéricos, suspiram e fantasiam loucas histórias de amor como os da saga Crepúsculo, Lua Nova…, O Diário do Vampiro e por aí vai. É uma febre mundial!
Vendo assim eles até parecem bonzinhos, bonitos, charmosos, atraentes, mas ficção é ficção. A realidade é bem diferente.

O vampirísmo psíquico é mais comum do que se pensa. O vampiro psíquico é como um sanguessega que vive da energia alheia. Ele se liga a você e drena todo o teu entusiasmo, teu bom humor e a tua energia.
Procure ficar atento a estes sinais: uma pessoa que está sempre tocando você enquanto fala ou sempre quer um longo abraço, seja ou não a ocasião apropriada, indicam que você, muito provavelmente, se encontra diante de um.
Mas como você pode ter certeza de que está diante de um vampiro psíquico e não simplesmente de uma pessoa afetuosa? É só prestar atenção nas suas sensações. No caso do vampiro, qualquer contato físico lhe causa uma certa sensação de desconforto ou uma tensão no estômago. A mente começa imediatamente encontrar formas para evitar essa pessoa.
Mas fique tranquilo, existem muitas maneiras de se defender desse tipo de gente (e nenhuma delas requer uma estaca de madeira ou uma réstia de alho).

Rota de fuga número 1: Dê uma desculpa para evitar o contato. Diga “Estou com gripe”, “Tomei sol demais e minhas costas estão ardendo” ou “Dei um mau jeito nas costas”, qualquer coisa. Dê um passo atrás e cruze os braços __ isso fechará seu plexo solar e impedirá a entrada da energia da outra pessoa __ ou feche os punhos para fechar seu campo energético. Continue olhando o vampiro nos olhos e sorrindo. Isso o confundirá e quebrará qualquer ligação que ele esteja tentando fazer com você.

Rota de fuga número 2: Dê um passo atrás e tome distância da pessoa. Fique de pé se ela estiver sentada ou sente-se se ela estiver de pé. Se ambos estiverem sentados, faça com que haja algum móvel entre vocês. Entrelace a mão no colo, bem longe das mãos da pessoa, cruze os pés e toque o solo com a ponta dos dedos. Assim você ficará ancorado à terra.

Rota de fuga número 3: Afaste a pessoa mentalmente. Concentre-se na imagem dela e envie um raio com o poder de afastá-la de você, depois saia de cena o mais rápido possível.

Rota de fuga número 4: Essa é bastante óbvia, mas bastante eficaz. Dê um passo para trás e diga simplesmente “Por favor não me toque, eu não me sinto confortável”. A maioria dos vampiros psíquicos usa o toque para drenar a sua energia, portanto, não deixe que ele faça isso.

Por fim, não leve nada tão à sério e não se deixe intimidar por nenhum vampiro de plantão. Sempre que se deparar com algum deles, respire fundo, tome posse de todo o seu poder pessoal, arme seus escudos e dê o melhor sorriso. Isso funciona como um amuleto!

Adaptação do artigo Practical Psychic de Ellen Dugan

Deixar um Comentário